Animação Turística
Parque Nacional Peneda-Gerês

Localizado no Alto Noroeste de Portugal, com uma área que se alonga em ferradura por cerca de 72.000 hectares, o Parque Nacional da Peneda- Gerês, criado em 1971, é uma das principais imagens de marca do Minho e um dos seus principais recursos ambientais e turísticos. Engloba territórios dos concelhos de Melgaço, Arcos de Valdevez, Ponte da Barca, Terras de Bouro e Montalegre. Situando-se Monção no seu limite Norte.

Região montanhosa por excelência, o PNPG é um domínio essencialmente granítico, com características diversas, integrando parte dos maciços das serras da Peneda, Soajo, Amarela e Gerês, para além dos planaltos elevados de Castro Laboreiro e da Mourela, que o limitam a Norte e a Leste.

A orientação diversificada do relevo, a relativa curta distância do Atlântico e os grandes desníveis de altitude, favoreceram a formação de uma notável gama de microclimas, os quais permitiram o aparecimento de uma grande variedade de espécies vegetais, onde outrora se abrigava uma riquíssima e diversificada fauna.

As matas climace de carvalhos (comum e negral), associadas ou não ao azevinheiro, ao medronheiro, ao teixo e ao sobreiro, ou a espécies como o feto do Gerês, o zimbro, o vidoeiro e o lírio do Gerês, este um endemismo de beleza rara e simbólica apenas conhecido localmente no vale do rio Homem, concedem ao território do PNPG um grande interesse botânico.

A esta diversidade botânica alia-se um importante valor faunístico, aonde é possível encontrar ainda hoje espécies como o lobo, o corço, o javali, o texugo, a lontra, a toupeira de água, a víbora negra, a cobra de focinho alto, o lagarto de água, entre outras de que merece destaque um pequeno núcleo de garranos, últimos exemplares da raça luso-galiciana vivendo em estado de liberdade.

É igualmente rica a avifauna do Parque, destacando-se entre as espécies de maior porte a águia-real, o falcão, o açor, o peneireiro e o bufo real. No entanto, mais do que numa ou noutra destas espécies, é na diversidade botânica, zoológica e mesmo mineralógica que reside o maior valor do património natural que o Parque encerra.